Sony e Panasonic revelam novos discos ópticos com capacidade de até 1TB |

A Sony e a Panasonic apresentaram na segunda-feira seu novo formato de disco óptico desenvolvido em conjunto chamado Archival Disc, que permite armazenar de 300 GB a 1 TB de dados em um único disco de 120 mm. Tanto a Sony quanto a Panasonic pretendem lançar sistemas com capacidade de gravação de 300 GB por disco no verão de 2015. Inicialmente, o Archival Disc será voltado para o mercado profissional.

Assim como o disco Blu-ray, a nova tecnologia Archival Disc contará com diodos de laser azul operando em comprimento de onda de 405nm com abertura numérica de 0,85. O pitch da trilha do Archival Disc foi reduzido para 225nm (de 320nm no caso do disco Blu-ray). Além disso, o formato AD apresenta tecnologia de cancelamento de diafonia e tecnologia de processamento de sinal de máxima probabilidade de resposta parcial de alta ordem (PRML) para obter maior capacidade e maior qualidade de sinal de reprodução.

Os discos iniciais de 300 GB serão dupla face com três camadas por lado, o que significa que cada camada pode conter 50 GB de dados, duas vezes mais do que o disco Blu-ray que suporta 25 GB por camada.



Tanto a Sony quanto a Panasonic planejam promover ativamente o padrão Archival Disc no campo profissional (entre proprietários de data centers em nuvem, desenvolvedores de conteúdo digital, serviços de rede e assim por diante) para oferecer uma solução eficaz para proteger dados valiosos no futuro.

A Sony e a Panasonic pretendem lançar sistemas com capacidade de gravação de 300 GB por disco a partir do verão de 2015. Além disso, ambas as empresas planejam alavancar suas respectivas tecnologias para expandir ainda mais a capacidade de gravação por disco para 500 GB e 1 TB.

Embora a capacidade de 300 GB pareça impressionante, a mídia de dupla face dificilmente é popular no mercado consumidor. Portanto, caso a Sony e a Panasonic queiram levar o Archival Disc aos consumidores, elas devem projetar uma mídia de face única com capacidade de 150 GB. A grande questão é se a triplicação da capacidade de um disco de face única justificará mudanças significativas no formato e a necessidade de desenvolver players totalmente novos para os consumidores, tendo em mente o fato de que é possível oferecer mídia baseada em BD XL com 128 GB de capacidade de armazenamento e aproveitar a tecnologia de disco Blu-ray existente. Talvez, a segunda iteração do Archival Disc com capacidade de 250 GB de um lado faça mais sentido para o mercado consumidor. Mas essa mídia será disponibilizada ainda mais tarde do que em 2015…