Hacker de League of Legends ganhou US$ 1.000 por dia |

No ano passado, Shane Jason Duffy teve sua casa invadida pela unidade australiana de crimes cibernéticos por hackear repetidamente o popular MOBA da Riot, League of Legends. Duffy conseguiu ficar fora da prisão sob fiança, mas durante esse período, seus hacks lhe renderam US $ 1.000 por dia.

Como ele conseguiu? Bem, a história começa em 2012, quando hackers conseguiram acessar 120.000 transações de League of Legends, que incluíam detalhes de pagamento criptografados e informações de contas pessoais. Mais tarde, em 2013, alguns jogadores da Liga começaram a ter suas contas bloqueadas ou a serem transferidas para o Brasil.



Durante um ataque de força bruta, Duffy conseguiu obter a senha de um funcionário sênior da Riot, com isso ele conseguiu instalar algum software de backdoor para dar ao hacker acesso contínuo aos servidores da Riot. Antes que a Riot descobrisse o software e fechasse a brecha, Duffy e um grupo de outros hackers conseguiram acessar mais de 24 milhões de contas.

Duffy então criouLoLip-op.com, um serviço que permitia que os usuários pagassem para que qualquer uma dessas 24 milhões de contas fosse eliminada de um jogo, dando vantagem à sua equipe. O site também oferecia um serviço DDOS para ajudar os jogadores a ganhar jogos. No total, este site rendeu a Duffy US$ 1.000 por dia. Depois de se gabar no Reddit, a polícia conseguiu prender Duffy, seu julgamento acontece no dia 24 de julho.

As pessoas vendem hacks premium para trapaceiros com bastante frequência, é especialmente perceptível quando jogos como Counter Strike estão à venda, os hackers configuram algumas contas e usam cada uma para hackear até serem banidos em todas elas. Jogar com hackers nunca é divertido e oferecer hacks por dinheiro é ainda pior. O que vocês acham disso?

Fonte: Polígono